dia internacional sindrome down

Uma karateca. Uma capoeirista. E uma poeta. Elas têm gostos diferentes, mas lutam pela mesma causa: quebrar as barreiras do preconceito, porque, além de fortes, são especiais. E por vários motivos, inclusive a Síndrome de Down – comemorada, hoje, no mundo todo.

“Sei tocar teclado, gaita, pandeiro e flauta. E sou apaixonada por livros”, diz Carol, 37 anos.

“Minha mãe é índia. Eu gosto muito de lutar capoeira”, afirma Ana, 26 anos.

“Eu sou faixa verde em karatê”, conclui a mais tímida da turma, Lalá, de 20 anos.

Na Acorde (Associação de Capacitação, Orientação e Desenvolvimento do Excepcional), o trio passa horas aprendendo a importância de participar da sociedade. Ajudam no preparo da comida, lavam o próprio prato, caminham e desenvolvem suas particularidades. E muito bem.

Aninha, como é chamada pelas amigas, é só orgulho: aprendeu a se cuidar sozinha desde muito nova, e não vê dificuldade nisso. “Pego até ônibus, pois minha mãe confia em mim”, diz.

Gente como a gente

A especialista em educação especial da instituição, Marina Ferrari, explica: o maior objetivo nestes acompanhamentos é a integração. “Nossa função é dar mais autonomia e independência às nossas alunas, que têm direitos e capacidade para fazer tudo que quiserem”.

“Desenvolvimento pessoal é essencial. Elas cresceram intelectualmente, porque foram estimuladas em grupo e individualmente. Isso é fundamental, mas ainda existe esse problema das pessoas que estão próximas aos deficientes os diminuírem. Isso é errado”, destaca Marina.

Por isso, nada de ‘moleza’ para as meninas. A prática esportiva e alfabetização, por exemplo, fazem parte da rotina, que começa às 8 horas e, para algumas, terminas às 12 horas. Para Lala, só às 18 horas – ela vai embora sorrindo, mas reforçar: “sou faixa verde em karatê, ?”.

O que é?

A Síndrome de Down é causada pela presença de três cromossomos 21 em todas ou a maior parte das células de um índividuo. Isso ocorre na hora da concepção. Os portadores têm 47 cromossomos em suas células em vez de 46, como a maior parte da população.

Fonte: A Cidade ON - Júlia Fernandes

Gostou da postagem? Compartilhe no Facebook, Google+, Twitter ou em outras redes sociais.

acorde realiza a ii cavalgada excepcional neste domingo 3 b620Será realizada neste domingo (29) a II Cavalgada Excepcional da Acorde (Associação de Capacitação e Orientação do Excepcional), com os integrantes da comitiva "Paixão Sertaneja".

A cavalgada está com saída prevista para às 9h na Avenida Getulio Vargas e chegada às 12h30 no antigo Moinho Santa Maria. A comitiva 'cortará' a Avenida São Carlos até o pontilhão localizado no Cidade Jardim, onde percorre os bairros Paulistano e Jóquei Clube, com destino final no Moinho Santa Maria, onde ocorrerá tradicional almoço caipira a R$ 15, shows sertanejos e praça de diversão para crianças. O evento é 100% beneficente para a entidade.

A Associação de Capacitação e Orientação do Excepcional (Acorde) está localizada em novo endereço, na rua Vitorio Bonucci, no Jardim Tangará e atende aproximadamente 50 alunos com os mais variados tipos de deficiência e conta com a ajuda de contribuintes. Quem quiser ser parceiro do evento ou ajudar a entidade é só visitar a sede manter contato pelo fone (16) 3372-2548.

"Na primeira contribuí como parceiro e fui montado junto com a peãozada, agora prefeito darei o apoio necessário para este evento. Cavalgada é coisa boa e ajudando o próximo é mais ainda", disse Airton, que deixou uma estrutura disponível para os organizadores. "Na primeira superamos as metas de arrecadação e participantes. Estiveram presentes 1.080 cavaleiros da cidade e região e o evento deixou saudades e exemplo de organização. No almoço o número de pessoas foi o triplo do previsto e faltou comida. Desta vez isto não ocorrerá, pois vamos nos organizar melhor. Pedimos desculpa para quem não foi atendido, mas antes por motivo de sucesso do que de fracasso", disse Bira, vice-presidente da Comissão Paixão Sertaneja.

"A população não tem ideia de como este evento ajuda na manutenção e custeios anuais da entidade. Vivemos de ajuda e a cavalgada é uma benção. Resgata as tradições sertanejas e nos ajuda muito. Agradecemos o prefeito e os meninos que de colaboradores se tornaram grande amigos", garantiu Edmar Souza, Presidente da entidade.

Fonte: São Carlos Agora

Gostou da postagem? Compartilhe no Facebook, Google+, Twitter ou em outras redes sociais.

violao3Quem vê os dedos ágeis deslizando rapidamente pelas cordas da viola, fica surpreso ao saber que o responsável pelo som reproduzido nasceu deficiente auditivo devido a um grau leve de autismo. Mas isso não é um problema para João Paulo de Lima, conhecido em São Carlos (SP) como ‘João Violeiro’, um amante da música sertaneja.

A vontade de aprender tocar instrumentos despertou aos 6 anos, inspirada pelo pai músico. “Ele ajoelhava enquanto eu tocava, encostava a caixa do violão no rosto e conseguia ‘ouvir’ através da vibração das cordas, ficava com a cabeça encostada do lado do violão o tempo todo”, contou Edson de Lima.

Hoje, aos 19 anos, João domina as cordas de instrumentos como viola, violão e cavaquinho. Apaixonado por moda de viola, diz que o coração bate mais forte quando começa a tocar. “Eu gosto do sertanejo de raiz, mas toco qualquer música que ouvir”, declarou o músico.

E toca de tudo mesmo, afirmou o pai. “Se você virar e falar toca tal música, ele só precisa ouvir uma ou duas vezes e vai saber tudo que precisa fazer, é um ouvido muito absoluto e uma memória fotográfica, pode-se assim dizer. Ele toca mais de 300 músicas e sabe qualquer uma se ouvir só um pedaço”.

Dificuldade
As dificuldades começaram logo após o nascimento. João foi diagnosticado com autismo por conta da má formação congênita e isso ocasionou a perda da audição. Na infância, ele só fazia leitura labial. “Prestava atenção no que a pessoa estava falando e conseguia entender o que falava, mas ouvir de fato era muito pouco”, explicou a irmã Ana Paula de Lima.

Com o auxílio de uma fonoaudiologia e do aparelho usado para ajudar na surdez, o músico apreendeu a se comunicar com gestos e a dedilhar as cordas dos instrumentos através das vibrações, embora ainda consiga falar e ouvir muito pouco. A música, contudo, foi o fundamental para a parte auditiva.

Com muitas histórias para contar, o pai afirmou que um dos episódios mais impressionantes foi durante uma festa em que uma dupla sertaneja estava tocando. João Paulo estava ‘invocado’ vendo a mulher cantar e tocar violão, mas ninguém entendia o porquê, até que o instrumento foi colocado ao seu lado.

“Ele pegou o violão e viu que a terceira corda estava desafinada, então afinou e devolveu para a cantora, aí então conseguiu se aquietar, mas não deu sossego enquanto não afinou a corda. O ouvido ficou muito preciso com a música, em meio a todo o barulho e confusão daquela festa, ele conseguiu ouvir a corda desafinada e eu fiquei chocado”, relatou Edson.

Rapidez
Durante a entrevista para a EPTV, o repórter Rodrigo Facundes fez um desafio para o músico: colocou uma música sertaneja que João afirmou que não conhecia e, após ouvir um pequeno trecho duas vezes, conseguiu reproduzir o som com perfeição no violão.

Para o pai, esse é um dos maiores motivos para ter orgulho, já que a facilidade em aprender novas músicas e o modo como os instrumentos são tocados também ajudou com a doença.

“Como pai, como amigo e como professor, dá muito orgulho ver ele fazendo o que faz. Algumas coisas da vida a gente ensina, mas outras é ele que está passando para mim porque já me superou bastante e há muito tempo. É uma lição de vida para qualquer pessoa”, contou Edson, emocionado.
(Foto: Felipe Lazzarotto/ EPTV)

Gostou da postagem? Compartilhe no Facebook, Google+, Twitter ou em outras redes sociais.

Últimas Notícias

Thumbnail Assembleia Geral Extraordinária Convocação Convocam-se os associados da ACORDE-ASSOCIAÇÃO DE...
ATO DE NOMEAÇÃO DA COMISSÃO ELEITORAL
Quarta, 05 Dezembro 2018
Thumbnail A ACORDE – Associação de Capacitação, Orientação e Desenvolvimento do Excepcional  inscrita no CNPJ sob...
Thumbnail Com o objetivo de atender e ajudar consumidores a voltar ter crédito no comércio da cidade,...
Thumbnail A data tem grande importância para o combate ao preconceito e luta pela garantia dos direitos de...
Thumbnail Durante aproximadamente uma hora. Ou então cinco quilômetros. O dia 2 de setembro de 2018,...
Thumbnail Há 30 anos um sonho se tornava realidade: a fundação da ACORDE se deu objetivando na defesa dos...
Resultado Ação Entre Amigos
Sexta, 27 Julho 2018
Thumbnail Confira o Ganhador da Ação Beneficente entre Amigos promovida pela ACORDE: (Sorteio pela Loteria...
Thumbnail   O Dia da Pizza, comemorado nesta terça-feira, dia 10 de julho, será marcado pelo lançamento de uma...
Thumbnail Alunos da ACORDE (Associação de Capacitação, Orientação e Desenvolvimento do Excepcional)...
Thumbnail A Associação de Capacitação, Orientação e Desenvolvimento do Excepcional (Acorde) iniciou neste mês de...
Thumbnail Nem mesmo a dificuldade de locomoção impediu Claudia Tereza Lavandoski, de 38 anos, de ir até a...
Thumbnail Competentes, disciplinadas, verdadeiras, humildes. Mas guerreiras. Cada uma com características...
Thumbnail Os empregados da fábrica da Volkswagen do Brasil em São Carlos doaram a quantia de R$ 17.174,95 à...
Thumbnail Uma viagem que jamais será esquecida para 15 alunos da Associação de Capacitação, Orientação e...
Thumbnail Confira os Ganhadores da Ação Beneficente entre Amigos de Natal 2017 promovida pela ACORDE:...
Thumbnail Uma iniciativa do Sesc tem contribuído para a redução da fome e redução do desperdício de alimentos...
Thumbnail A Câmara Municipal recebeu na tarde desta quarta-feira (19) alunos da Acorde (Associação de...
Thumbnail Na noite do dia 10 de julho, aconteceu na Água Doce Cachaçaria, mais um Escondidinho Solidário em prol da...
Thumbnail Desde o dia 17 de abril, o munícipe que vai até o gabinete da presidência da Câmara Municipal se...
Thumbnail A atleta da Associação Wada de Karate Graziela, mais conhecida como Lalá, participou do Arnold...
Mais em:Notícias